Facebook

Meninas Marcadas

on jun 24, 2013 in Sem categoria | 0 comments

Share On GoogleShare On FacebookShare On Twitter

Havia essa garota. Essa “A” garota, melhor dizendo. Adjetivos vagos não combinam com ela. Conheci ela já tem vários anos, uns 5 ou 6 talvez, não lembro. And I can´t remember life before her “met”, já dizia o John Mayer.

Não lembro bem qual foi a primeira vez que trocamos meia duzia de palavras, talvez na escola de inglês ou por alguma rede social da época, mas gostava de considera-la meio “intangível”, “inalcançável” ou simplesmente boa demais, fazia parte do desafio. Eu não era a melhor pessoa naqueles anos, talvez não seja até hoje em dia, mas sei que aquelas poucas horas, em que eu podia ficar alto com a presença dela, já eram suficientes.

Nunca imaginei que chegaria mais perto dela do que aquilo. Ou pior, nunca imaginei que estaria escrevendo um texto assim E pensando nela.

Acho que ficamos alguns anos sem conversar. Eu namorei, ela namorou e até nos encontramos com os respectivos ex-namorados, uma ou duas vezes, mas nada além disso. Até o ano passado, se eu não to enganado. Tudo começou com uma brincadeira, depois que o orkut dela me contou que estava solteira, e, 10 minutos depois, nos divertíamos rindo daquela meia-médica e do quase advogado. E ela provavelmente não deve lembrar disso.

Muitas coisas aconteceram nesse um ano e meio, outros namoros, ex-namoradas, outras pessoas, e mantínhamos um contato meio engraçado, as vezes passava um mês inteiro sem conversar uma vez, enquanto alguma vezes trocavamos mensagens vários dias, ou pior, conversar até amanhecer em pleno ano novo. Aquilo sim foi frustante, ela sabe o porque.

Enfim, quase um ano depois estoy aquí, quieréndote, depois de ter descoberto que aqueles beijos foram o mais perto dos céus que eu já cheguei, por todos os melhores motivos, mas talvez com a pessoa não tão certa – ninguem mandou morar longe.

Mas, afinal, porque o título? Se fosse pra escrever uma carta, que fosse pra você, não um “artigo” ou um texto pra alguem entender alguma coisa. Porque marcada? Que papo doido de teoria?

Longa história curta. Toda mulher é uma folha em branco, por assim dizer. Cada coisa que acontece, desde o jeito do homem do balcão do bar até o futuro ex-possível-quem sabe-homem da sua vida, deixam uma marca. Algumas grandes, outras pequenas, quase como linhas de caneta, Qual a parte boa disso? A experiência, ter histórias pra contar, ou simplesmente lembrar de bons momentos. E a parte ruim? as manchas.

Toda mulher tem suas manchas, suas tristezas, aquela lembrança que a deixou menos corajosa ou menos mulher. Acredito que todo homem tem um poder gigante sobre as mulheres. Todas elas. Qualquer homem pode acabar com a confiança, com o orgulho, com a honestidade e com a lealdade de uma mulher. Entretanto, diferente de nós, elas lembram disso.

Aquele segundo, terceiro ou décimo “homem da vida” dela, por mais que se esforce, ou até que faça ela gostar de quem gosta dela, como dizem sempre, sempre vai sofrer pelos erros do primeiro. Se ela acredita que aquele primeiro traía ela, ela vai achar que todos irão. Se o homem da vida dela não a amou devidamente, ela tem certeza que nenhum irá. Ela simplesmente sente isso, afinal, vai viver com a lembrança da falta de amor de um homem.

Traição, falta de amor, falta de confiança são apenas alguns exemplos, mas essa manchas ficam, e são quase impossíveis de se apagar. Por mais que o outro se esforce e faça todos os gostos da dita-cuja, ela dificilmente será plena, dificilmente ira conseguir se entregar, como fez ao outro. Quando eu digo “se entregar”, não refiro ao sexo, beijos, carinhos, ou até ter um filho, casar e viver o resto da vida, mas me refiro a poder fechar os olhos todas as noites e pensar que aquele sim, é o  grande e único amor da vida dela.

É um caminho sem volta. Cicatrizes que nunca irão sumir. Hoje ela saí por ai, fica com os caras, as vezes responde as mensagens e diz como foi bom ficar com eles, as vezes simplesmente some, e cria uma legião de fãs atrás dela, mas no fundo ela sofre com um orgulho ferido, uma baixa estima – e, Deus, como ela é linda – ou uma falta de confiança, nos homens, em geral. Qualquer elogio parece conversinha, por mais que seja sincero. “Adorei o seu beijo”, “Gosto do teu jeito” vão soar tão sincero quanto um convite para o show dos Beatles em pleno 2012!

Mas sei que não há muito o que se esperar de uma mulher assim. Não digo que não virão coisas boas, mas, parafraseando novamente John Mayer, ela é um labirinto, com suas paredes em constante mudança.

Acredito que agora tu ja deve ter percebido que o texto foi sim, direcionado, pra ti. Da mesma maneira, sei que nao posso esperar absolutamente nada, mas e dai? Tem 700km de distância, eu não posso te prometer nada também. Mas, honestamente, nao quero dar chance pra te perder pra esse mundo gigante.

Se isso vai um dia pode ser algo maior ou se é só porque eu gostei – mesmo – dos teus beijos, eu agora não sei, mas adoraria poder descobrir.

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>