Facebook

Ao Norte da Linha do Equador

on jun 24, 2013 in Sem categoria | 0 comments

Eu poderia gritar aos quatro cantos e sem chances de arrepender-me que aquela foi “A” viagem. Não pelo fato de ter sido a viagem mais longa, tão pouco por estar na terra do tio sam. Fiz tudo o que se espera que se façam nessas viagens que acontece apenas uma vez em nossas vidas. Conheci gente de todos lugares, fui xingado por um estrangeiro, bebi até vomitar, e fumei até me aliviar (pela primeira vez, diga-se de passagem). A gente só se dá conta desses fatos algum tempo depois… anos talvez. Mas eu sempre soube que eram altas as chances de eu encontrar alguma menina que fosse mudar os meus pensamentos em tais situações. É claro, hoje, quando uma guria vem e pergunta se eu sou o “fulano de tal” que ela ouviu falar, são altas as probabilidades de nós acabarmos em um motel barato, onde o conceito de eternidade está no caminho entre o nosso orgasmo, o meu cigarro e o tempo que eu vou levar...

Meninas Marcadas

on jun 24, 2013 in Sem categoria | 0 comments

Havia essa garota. Essa “A” garota, melhor dizendo. Adjetivos vagos não combinam com ela. Conheci ela já tem vários anos, uns 5 ou 6 talvez, não lembro. And I can´t remember life before her “met”, já dizia o John Mayer. Não lembro bem qual foi a primeira vez que trocamos meia duzia de palavras, talvez na escola de inglês ou por alguma rede social da época, mas gostava de considera-la meio “intangível”, “inalcançável” ou simplesmente boa demais, fazia parte do desafio. Eu não era a melhor pessoa naqueles anos, talvez não seja até hoje em dia, mas sei que aquelas poucas horas, em que eu podia ficar alto com a presença dela, já eram suficientes. Nunca imaginei que chegaria mais perto dela do que aquilo. Ou pior, nunca imaginei que estaria escrevendo um texto assim E pensando nela. Acho que ficamos alguns anos sem conversar. Eu namorei, ela namorou e até nos encontramos com os respectivos...

Eu vou te processar.

on jun 24, 2013 in Sem categoria | 0 comments

Eu já entendi tudo e tu nem precisa me dar explicação. Entendi cada linha do teu plano, cada pdf, ppt, doc e todas as conversas de skype que tu tivestes que eu nunca ouvi. E não adianta me olhar com essa cara de poodle sem dono, pedir carinho ou achar que estou jogando verde, não, eu não estou, eu definitivamente entendi todo esse teu plano maquiavélico para cima do meu humilde e completamente com dona, coração. Este é um pequeno comunicado: eu vou te processar. Processar por tu tentares fazer eu ter uma parada cardíaca em locais inapropriados. Processar por tu me causar transtornos obsessivos compulsivos. Processar por esse crime que tu vens fazendo e achando que eu nunca descobriria. Aliás, vou processar todos os teus comparsas que estão tramando juntamente contigo: O administrador da linha telefônica da minha empresa, Mark Zuckerberg, o inventor do Skype e o gênio do Whatsapp. Esses...

Olá, mundo!

on jun 24, 2013 in Sem categoria | 1 comment

Bem-vindo ao WordPress. Esse é o seu primeiro post. Edite-o ou exclua-o, e então comece a publicar!

Sem flores ou chocolates

on jun 12, 2012 in Sem categoria | 0 comments

Quando me falaram pela primeira vez que eu nunca conheceria outra menina igual a ti, fui meio cético. Aliás, tu sabes que na maioria das vezes todo mundo gosta de reiterar e dizer por aí que ninguém é igual a ninguém, que cada pessoa é uma pessoa e que o Pelé sempre será o melhor do mundo. Eu, como sempre, fico com um pé atrás. Primeiro por que nesses meus 20 e tantos anos de vida, sempre acabaram por me mostrar que no final das contas, todas as pessoas são iguais. Talvez mais gordas ou mais magras. Umas com um gosto melhor, outras com um gosto meio duvidoso, mas no final das contas, acabam sempre no velho script e comportamentos repetitivos da vida. Segundo, tu sabes que o Pelé jogou contra vários times amadores, né? Na segunda vez que comentaram está mesma frase acima, eu já estava pensando diferente. O mesmo pensamento que retorna a minha cabeça toda noite antes de dormir, quando...

Sobre as coisas como elas são

on jun 11, 2012 in Sem categoria | 0 comments

Ela tem dois grandes olhos. Olhos que me mostram uma certa esperança que eu não costumava ver, assim como não costumo ver todo dia os tais olhos sobre os quais escrevo. Sempre lembro deles antes de dormir, não existe um roteiro certo e eu também não sei verdadeiramente por que gosto de lembrar ou o por que disto acontecer, mas, simplesmente, acontece. Eles me acalmam, mesmo que com há distância e mesmo sendo apenas uma lembrança na minha cabeça, apenas dois olhos . Dois olhos  que não consigo nem saber, verdadeiramente o porque eu gosto tanto… Quero descobrir teus segredos. Sem exceção, dos mais banais ao mais intimo da sua pessoa, mas quero. Quero também ficar aqui, parado, ouvindo qualquer coisa que venha de ti, qualquer som. Tua respiração, a batida calma do seu coração ou só a sua melodia enquanto toma seu banho. Afinal, tudo o que sai de você, para mim, é celestial. Eu quero saber...